sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Pregador: De Deus ou não?

Um pregador não é identificado se é de Deus pela pregação, profecia, sinais e curas, mas pelos seus frutos, testemunho, caráter e vida. (Josimar Salum)

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Feliz Dia de Ações de Graças

Gratidão é o coração borbulhando de contentamento enquanto estamos expressando em palavras a satisfação do coração.

Gratidão é considerar as bênçãos da vida maiores que os sofrimentos enquanto propositadamente esquecemos as memórias más.

Gratidão é acordar com Deus todas as manhãs e sorrir, mesmo em meio a lágrimas e dor.

Gratidão é dar gargalhadas com Deus enquanto deixamos o tempo atrás de nós na medida em que já caminhamos na eternidade com Ele.

Ser grato é declarar que está tudo bem com a nossa alma, enquanto contamos as bênçãos, uma a uma e perdemos a conta, reconhecendo a imensa bondade de Deus.

Para todos aqueles que são gratos e para aqueles que estão aprendendo.

Feliz Dia de Ações de Graças

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Meu Testemunho - Josimar Salum - Parte I

Nunca fui famoso, nunca tive muitas mulheres... 

Nunca fui macumbeiro... Nunca me envolvi em badernas... 

Nunca fui dado a prostituição, nunca usei drogas... 

Não fui traficante, nunca fui membro de gangue...

Nunca fui perseguido pela polícia... 

E não tive uma experiência dramática de conversão. 

Tive uma vida bem pacata...

Mesmo assim considero-me como Paulo, o principal dos pecadores.  

Talvez meu testemunho não será interessante para você. 

Mas se puder ouvir, gostaria de compartilhar parte de minha história com você. E se desejar, favor compartilhar com outras pessoas.


PARA ADQUIRIR O LIVRO EM FORMATO DE E-BOOK CLIQUE AQUI

E a chuva...






















Asssim diz o Senhor Deus: Então vos darei as chuvas no seu devido tempo, e a terra dará seus produtos e a árvore do campo seus frutos. (Levitíco 26:4

O que tenho ensinado e a grande maioria dos pastores tem rejeitado.

Josimar Salum

A salvação não é o propósito eterno de Deus para sua vida. Você existe, você foi criado meu irmão querido e minha irmã querida para ser igual a Jesus.

Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o Seu propósito.

Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.

E aos que predestinou, também chamou; aos que chamou, também justificou; aos que justificou, também glorificou. (Romanos 8:28-30 NVI)

Jesus veio buscar e salvar não simplesmente o homem, mas O QUE se havia perdido.

A primeira coisa que o homem perdeu no jardim foi Sua imagem e semelhança com Deus.

Deus sempre quis ser homem sem deixar de ser Deus. O homem quis ser Deus e deixar de ser homem.

O evangelho que conhecemos tem sido apenas o evangelho da salvação dos pecados para "ir para o céu."

A salvação é apenas a porta, o primeiro passo.

A maioria dos "cristãos" vive apenas neste primeiro passo. É o evangelho do ladrão que recebeu Jesus na Cruz. Recebe a Jesus e morre para ir para o paraíso. É o evangelho sem propósito.

Não nascemos de novo para ir para o céu, aliás não há nenhum versículo nas Escrituras que mostre Deus prometendo que iremos morar para sempre no céu,

Nem mesmo João 14 não tem nada a ver com céu (vou preparar-vos lugar!), é que não ensina que iremos morar no céu para sempre.

Jesus foi preparar e preparou lugar na Cruz.

A Casa do Pai não é os céus.

A Casa Eterna do Pai é o Seu templo, Sua cidade, a Nova Jerusalém, Seu edifício, Sua Igreja, Seu povo, Seu Corpo,

As moradas que Ele preparou para nós são as moradas de Deus. "Eu é Meu Pai viremos e faremos Nele morada."

Somos a habitação do Espírito, do Pai e do Filho, somos a morada de Deus.

Jesus disse: O Reino habita convosco mas estará em vós.

As moradas de Deus somos nós. Deus habitará para sempre em nós. Nós Nele e Ele em nós.

NASCEMOS DE NOVO para ver e entrar no Reino de Deus. Entramos no Reino quando o Reino entra em nós. O REINO é Cristo. E Ele nos fez reis e sacerdotes que reinarão para sempre. Se é para sempre não é por mil anos. Reinamos em vida (Romanos 5:17) e reinaremos para sempre.

Não retornaremos ao Éden, ao paraíso. Seremos como Deus é antes da criação do mundo.

Os céus e a terra que agora existem desaparecerão e haverá nos céus e nova Terra onde habita a Justiça.

O Pai agradou dar-nos o Reino. Por isto oramos, VENHA O TEU REINO. Por isto buscamos PRIMEIRO o Reino e a Sua Justiça. Não pelas coisas que serão acrescentadas, porque as coisas acrescentadas (moradia, vestimenta e comida) até os ímpios já tem.

Os cristãos oram para vir o Reino mas querem ir embora para o céu. Jesus vai descer e os crentes querem subir

A única maneira de ir para o céu (paraíso) é morrendo. O céu não é nosso destino, mas a Gloria.

E a Gloria eterna é sermos como Jesus é.

O Rei da Paz e o Imigrante

O REI DA PAZ nunca criou fronteiras para separar os homens, mas para marcar territórios. Ao seu povo ordenou que recebesse os imigrantes em suas terras e os tratasse com dignidade. (Josimar Salum)


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Análise sobre as repercussões da Ordem Executiva do Presidente sobre Imigração

Josimar Salum

A única  e mais abrangente reforma migratória dos últimos 50 anos de história dos Estados Unidos foi liderada por um republicano, Presidente Ronald Reagan.

Existem republicanos e democratas radicais que rejeitam qualquer ação em favor dos imigrantes, como a maioria democrata do Poder Legislativo de Massachusetts que nunca aprovou nada em favor dos imigrantes do Estado durante os oito anos de mandato de Deval Patrick. O governador que está saindo poderia ter concedido a carteira de motorista para indocumentados, mas a maioria do partido democrata no Legislativo estadual não quis.

Existem no Congresso pelo menos 40% de legisladores que são radicalmente contra uma Reforma Migratória porque existem 40% de eleitores no pais que pensam o mesmo, e são estes que os elegeram.

O projeto de lei de Reforma Migratória aprovado pelo Senado Federal em 2013 teve a participação de quase 15 republicanos, não foi uma ação exclusivamente democrata.  Aliás, um projeto frustrante que graças a Deus a liderança republicana na Casa dos Representantes não quis nem examinar, de qualquer modo não atende nem resolve os anseios da comunidade imigrante.

Existem radicais republicanos que além de serem insensíveis, incompassivos e nacionalistas fanáticos, não conhecem a realidade migratória desde os primeiros passos que um estrangeiro dá junto ao consulado americano em seu pais como o aparente fato de que têm interesse nesta babel mal funcional, porque empresas são as mais beneficiadas economicamente com a situação por pagarem salários baixos aos indocumentados.

Aliás, boa parte destes imigrantes não são tão indocumentados assim, porque a Receita Federal (IRS) concede para qualquer um que pedir uma identidade de contribuinte (pagador de imposto de renda) chamada ITIN.

O Senador Ted Cruz é o político republicano que lidera está onda de
retórica anti-imigrante. É o senador mais empanturrado de rivalidade do pais. Mesmo agindo assim tenho certeza que hoje mesmo bebeu seu suco de laranjas colhidas por mexicanos indocumentados da Florida. Sua agenda politiqueira vai levá-lo em breve ao limbo, porque em seu estado, no Texas em poucos anos vai faltar votos para elegê-lo.

Pelo outro lado, Obama teve a maioria democrata tanto no Senado quanto na Casa dos Representantes nos seus dois primeiros anos do primeiro mandato e não cumpriu com a promessa clara que fez quando disse literalmente em campanha que iria liderar a Reforma Migratória naquele mesmo ano e hoje culpa os republicanos exclusivamente pela ausência da mesma.

Obama fez uma coisa boa como fez para os jovens dois anos atrás, emitiu uma Ordem Executiva propondo algum avanço na questão, e agora assinou outra Ordem abrangendo mais imigrantes, apesar de que é uma medida limitada e com possíveis consequências ruins para os cinco milhões que se encaixarem.

Entenda, é muito bom ver cinco milhões de imigrantes poderem ter acesso ao número de Social Security e a Carteira de Motorista, neste caso, na maioria dos estados se governadores republicanos consentirem. Quem emite a “Driver's License” é o Estado e não o Governo Federal.

Dentre várias consequências que poderia enumerar ainda a principal é que se trata de uma medida executiva temporária e que não tem força de lei. Não legaliza ninguém, apenas concede "permanência" provisória. Serão cadastrados cincos milhões de imigrantes dando-lhes um direito temporário, ilegalmente  "suspendendo" leis que foram aprovadas pelo Congresso que autorizam a deportação imediata de indocumentados. 


A ordem não oferece NENHUMA garantia de que permanecerão isentos de deportação quando expirar o prazo de três anos.

Atenção: Ordem Executiva não é Lei. Não existe Reforma Migratória em andamento.


Pela sua obstinação em agir calculadamente sozinho o presidente conseguiu ao invés de liderar a nação e seus representantes, provocar os senadores e deputados que lhe opõem politicamente à reação negativa. Todo mundo sabe  que é preciso uma Reforma Migratória, mas dividindo novamente a nação o presidente só aumenta a confusão.

Obama não é um líder, é apenas um político. Estou cansado de sua demagogia e de vê-lo jogando pobres contra ricos, empregados contra empregadores e sua administração fomentando a sangria das feridas raciais que ainda existem nesta Nação.

É claro que mesmo assim todos celebramos sua Ordem Executiva mesmo constatando que milhões de imigrantes ficaram de fora e estão hoje frustrados e decepcionados.

Quanto ao DACA aprovado do mesmo modo a dois anos, na época suspeitei que poderia ser um Cavalo de Tróia. Parece agora que cavalo de madeira se expandiu, engordou e precisamos do Congresso para resolver de vez este grande problema que envolve não só 11 milhões de imigrantes, mas alguns milhões mais. Pela Constituição é o Congresso que legisla sobre imigração.

Deve haver alguma mágica neste número 11 porque já fazem 6 anos que este número de 11 milhões de indocumentados não muda, mesmo depois que Obama deportou mais de 2 milhões desses imigrantes.

E o que ocorreu nos arraiais? Antes de Obama fazer o anúncio de sua ordem executiva, advogados avarentos começaram a propagar que indocumentados poderiam fazer o pagamento de um "depósito" para acelerarem seu processo de legalização. Que legalização?


Muitos disseram especialmente na mídia brasileira, que o dia do discurso do presidente seria uma coisa - assim - de outro mundo. "Ele resolverá os problemas dos imigrantes." Não foi e não é o caso!

Obama é muito sagaz, sua ação é parte de um plano amplo, é estrategista, sabe onde quer levar a massa e pensa no futuro de sua agremiação.

Obama é autoritário, age ilegalmente como já tem feito, como quando prorrogou unilateralmente prazos de funcionamento do OBAMACARE e afinal, suas ordens executivas podem ser derrubadas pelo Judiciário. A Suprema Corte já decidiu unanimemente poucos meses atrás alertando o presidente sobre o uso abusivo de suas Ordens Executivas. Presidente não legisla, Presidente cumpre as leis.

Vamos recordar esta lição básica da República. O Legislativo faz as leis, o Executivo cumpre as leis e o Judiciário interpreta as leis.

Então não seja iludido, SOMENTE O CONGRESSO TEM AUTORIDADE CONSTITUCIONAL para fazer qualquer Reforma Migratória.


E leio de brasileiros invocando que a decisão de Obama deveria ter incluindo todo mundo. Isto não educa. Está errado!

Faço um apelo para que sejamos responsáveis, porque nosso povo precisa da verdade, de fatos corretos e não merece que alimentemos neles falsas expectativas que podem parecer agradáveis no momento, porém são transitórias e depois se tornarão dolorosas.

Não lutamos sozinhos, cada um de nós, independentemente de suas preferências e ideologias políticas queremos uma Reforma Migratória!

Isto não é simplesmente minha opinião. Foram citados aqui fatos históricos e incontestáveis. O restante é retórico. Obama não é o imperador dos Estados Unidos. Ninguém, nenhum poder é absoluto. Nossa liberdade está garantida exatamente pela separação clara dos poderes da República.

A nível estadual e federal presumo o seguinte:

Não creio que haverá perseguição aos imigrantes no Estado de Massachusetts com Charlie Baker e Karyn Polito.

Precisamos discernir retórica de medidas concretas. Discursar é fácil. Agir dentro da Lei e do Direito é outra coisa.

Não foi bom para o imigrante com Deval Patrick e muito menos com Obama que deportou milhares de nossos conterrâneos brasileiros.

Só ficará pior se o Congresso não agir. E estaremos atentos quanto a isto para dialogar com políticos, protestar e usar todos os meios legais e do Estado de Direito para alcançarmos vitória de nossa causa.

Presidente Barack Obama ao anunciar a ordem executiva fez um discurso equilibrado baseado nos grandes valores deste pais. Sim, "Mr. President", as Escrituras afirmam: Não oprima os estrangeiros porque fomos todos estrangeiros em terra estranha.

E a explosão de retórica nas reações imbecis de muitos republicanos chegou a ser cômica.

E no mundo real é o imigrante que sabe como foi e como é sua situação.

Somos todos brasileiros, somos todos imigrantes, precisamos uns dos outros por uma causa e não por conta de partidos.

Nossa Causa é o IMIGRANTE e queremos REFORMA MIGRATÓRIA TOTAL, ABRANGENTE, JÁ que conceda direito imediato para todo imigrante de sair e entrar no país. Basicamente é o que cada um quer, nenhuma lei que não conceda isto estará aquém.

E que as autoridades legislativas façam uma Reforma para acertar tudo desde a concessão de vistos no consulado, que cada um pague seus impostos razoavelmente e que então proíbam categoricamente toda imigração ilegal a partir de ações positivas.

Continuamos precisando dos Senadores e Deputados Democratas, e agora muito mais dos Republicanos.

Parafraseando um texto que não é de minha autoria:

Alguém pode enganar algumas pessoas todo o tempo, pode até enganar todo mundo por um pouco de tempo, mas jamais enganará todo mundo por todo o tempo.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Pão ou Liberdade

Se barriga cheia é preço que se paga para perder a 

liberdade os porcos são muito felizes, até o dia da 

matança.   (Josimar Salum)



                                          

"Uma Regra Uniforme de Naturalização" by Por Josimar Salum

Publicado originalmente 11 abril 2011

“Do Senhor é a terra e tudo o que nela existe, o mundo e os que nele vivem.” (Salmos 24:1)

Escrevendo como Americano:

Minha esposa, meu filho e eu somos Americanos, porque Deus estabeleceu e determinou que a nossa família habitaria na América do Norte. Creio que Deus mesmo enviou-nos aqui da mesma maneira que Abraão foi enviado para a terra prometida. Para cada um de nós o dia em que fizemos “o juramento” será lembrado o resto de nossas vidas. Foi um dia muito especial! Não deixamos de ser brasileiros, agora temos dupla nacionalidade.

Minha filha, como eu costumo chamá-la - esposa do meu filho – deu a luz ao nosso neto, Nathan, dádiva de Deus, natural da América. E ela mesma está à caminho para ganhar a cidadania americana, graças a uma das muitas leis justas que há nesse país.

Pela nossa Constituição eu sou Americano, agraciado com direitos e deveres, assim como meu neto, que nasceu aqui. Meu neto é brasileiro, mesmo tendo nascido nos Estados Unidos.

Filhos naturais têm os mesmos direitos dos filhos adotivos diante de Deus. Perante a Constituição Americana tenho todos os direitos, menos um, não posso ser eleito Presidente dos Estados Unidos da América.

Talvez eu esteja brincando, mas um dia Nathan pode se tornar Presidente e ele tem todas as chances de se tornar um, tanto quanto Presidente Obama, George W. Bush e qualquer outro Presidente da nossa história. E eu posso garantir que não haverá nenhuma dúvida quanto a sua cidadania. Ele nasceu em Boston, Massachusetts.

Eu sou contra coisas ilegais, qualquer tipo de perturbação da Lei e da Ordem. Sou contra cruzar fronteiras ilegalmente, contra a quebra das leis penais e civis, comportamentos ilegais, qualquer tipo de crime e especialmente contra o terrorismo…

Eu também sou contra todos os tipos de injustiças, opressão, escravidão e qualquer coisa e qualquer um que possa impedir as pessoas na Busca da Felicidade e da Liberdade.

Acredito que aqueles que violam a lei devam ser processados com base na Lei sem desprezar a Justiça, porque nem tudo que é da Lei necessariamente é justo. Acredito também que alguém, mesmo tendo infringido a Lei, possa encontrar misericórdia na sala do Tribunal.

Tenho visto Juízes e Promotores deixando de aplicar a Lei, ou seja, não imputando a condenação, especialmente a jovens, por causa de violações civis e por pequenos atos criminais.

Eu tenho visto a Justiça em todas as instâncias, nos casos que estive acompanhando, seja como pastor, como pai, amigo, mesmo agindo como jurado ou até mesmo como acusado ou acusador.

Mesmo quando uma vez, em que pensei que meu caso não tinha sido tratado com justiça, percebi o equilíbrio na decisão do Juiz, trazendo porteriormente admiração ao meu coração.

A Justiça não se baseia na severidade da aplicação da Lei, porque há Leis que simplesmente não estão certas.

A Justiça reside aqui no fato em que cada um, no Sistema de Justiça dos Estados Unidos, é julgado individualmente. As liberdades individuais são respeitadas aqui como direito inalienável.

A Justiça não deixa de acontecer na possibilidade de um erro ou de um engano, pois estes podem acontecer, mas a Justiça acontece baseada no poder da Democracia desta Nação.

O direito de perseguir (buscar) a felicidade (pursuing happiness) é baseada em liberdades individuais que ainda não desfrutamos em qualquer outro lugar neste planeta: A Liberdade de Expressão, a Liberdade de Fala, a Liberdade de Imprensa, a Liberdade de Culto, a Liberdade de Reunião e a Liberdade de simplesmente ser um indivíduo, etc.

Por aqui a tirania dos Governos e até mesmo dos Tribunais nunca prevalecem, porque indivíduos com esses tipos de liberdades não podem ser manipulados todos ao mesmo tempo, nunca.

Como nossa Nação foi fundada nos princípios de Vida, Liberdade e Justiça, até mesmo os piores criminosos, Americanos ou não, não devem, não podem ser cobrados ou condenados sem terem passado por um processo justo.

Tenho aprendido enquanto leio, assisto filmes, pesquiso, converso horas com amigos sobre a nossa história, que aquilo que desfrutamos hoje é o resultado de homens e mulheres corajosos do passado e do presente, que serviram e servem, que morreram aqui e no exterior em nome desta preciosa jóia chamada Liberdade.

O conceito de "Libertas quae sera tamen" – Liberdade ainda que tardia não cabe na Consciência Americana. Nós queremos liberdade agora, nunca para amanhã.

Mesmo que pessoas de outras nações critiquem nossos erros e injustiças em todo o mundo, sendo um povo imperfeito como somos, a soma de tudo é o que nos faz desfrutar da prosperidade, dos bons sistemas, da boa estrutura desta nação e da garantia de que há sempre esperança para iniciarmos outra vez mesmo após as piores crises econômicas ou sociais, mesmo após destruições naturais e até mesmo após a guerra, que fizeram parte da nossa história.

Originalmente do Brasil, eu trabalhei lá em muitos setores da sociedade. Eu tive o privilégio de fazer parte de grandes movimentos que influenciaram aquela nação. Trabalhei em setores do Governo, em Empresas, na Educação, na Mídia, Artes e Entretenimento, Religião e na Família.

O Brasil tem uma Lei Suprema no País chamada "a Constituição do Cidadão", mas não é assim para os cidadãos, de fato.

A Constituição foi promulgada para o bem estar de toda a sociedade e não para indivíduos como deveria ser. A propósito, esta Constituição de 1986 substituiu muitas outras e tem tido diversas alterações que estão longe de terminar.

O bem estar geral nas sociedades só é possível se cada indivíduo puder obter seu próprio bem estar e de sua família. É o direito de obter a felicidade que torna o indivíduo responsável por si e pelos outros.

Eu não sei quanto a você, mas quando eu leio apenas o preâmbulo da Constituição Americana, percebo sempre que estou tocando tecidos sagrados da civilização.

E imagino aqueles homens votando aquelas palavras como se estivessem em uma Câmara rodeados não somente com seres humanos, mas sob o domínio do Próprio Deus, o Supremo do Universo.

"Nós, o povo dos Estados Unidos, visando formar uma Unidade mais perfeita, estabelecemos Justiça, garantimos Tranqüilidade doméstica, providenciamos para termos uma defesa comum, promovemos o Bem Estar geral e garantimos as Bênçãos da Liberdade para nós mesmos e nossa Posteridade, assim ordenamos e estabelecemos esta Constituição para os Estados Unidos da América."

É na Constituição Artigo 1 Seção 8 que diz que, entre os muitos poderes, o Congresso tem o poder de "estabelecer uma Regra uniforme de Naturalização. "

Nossa história está cheia de movimentos migratórios, bons e maus, justos e injustos.

Os Estados Unidos tem sido um farol e um refúgio de esperança de geração a geração, tem atraído mais pessoas de outros países do que qualquer outro país do mundo.

Nós somos com efeito uma nação abençoada.

Migração está relacionada com a economia dos EUA desde a época de sua fundação.

De Africanos trazidos sem vontade própria aos Chineses que construiram ferrovias, até os Mexicanos, que plantaram e produziram nossos alimentos que são servidos em nossas mesas…

Aos Europeus, Asiáticos, Latinos, Brasileiros que construiram a nossa infra-estrutura. Eles têm limpado nossas casas e locais de trabalho. Eles têm servido nossos bolinhos e cafés e empreendido nossas indústrias...

Desde Vietnamitas, Afegãos e Iraquianos que migraram para fugir da guerra que nós também provocamos com tanta ira… Eles encontraram aqui os sonhos que nunca tiveram e a abundância que nunca imaginaram.

Há um grito no país vindo de todos os seus habitantes para que haja uma "Regra uniforme de Naturalização" que possa simbolizar a bondade, que materializa as nossas necessidades de segurança e que traz Justiça a milhões de pessoas que entraram aqui legal ou ilegalmente. Muitas vezes ilegalmente, mas tendo que voltar ainda que desejosos de permanecer. Legalmente, mas tornando-se ilegais, porque permaneceram ilegais por conta da falta de leis justas e por causa do nosso sistema migratório falido.

Existem muitos esperando em filas em nossos Consulados ao redor do mundo, que estão dispostos a vir ainda, mas os Consulados não podem aplicar nenhuma lei para permitir que venham.

Nossa propaganda ao redor do mundo acerca de nossa prosperidade e nossa liberdade atraíram qualquer um que se atreveu a sonhar com um lugar chamado de a Terra do Corajoso e a Casa do Livre.

Nós vendemos milhões de filmes e mostramos a nossa juventude bem vestida e bem alimentada, no limite do gozo de extremo conhecimento e oferecendo progresso para todo o mundo.

Nós colecionamos tecnologia e produzimos tanto que tudo junto faz embriagar jovens e velhos, até mesmo crianças morando longe e nos mais diversos lugares, que sonham em crescer apenas para terem meios de mudarem para a América. Fomos campeões em quase tudo e a juventude de outras nações viram o brilho de nossas escolas e desejaram vir.

E todos eles vieram. Com ou sem a nossa permissão legal, todos eles vieram. E eles ficaram. E daí?

Nós escrevemos leis que foram quebradas por nós mesmos e não cuidamos das nossas fronteiras.

Nós autorizamos as nossas empresas contratarem qualquer um durante décadas e nossas fazendas absorveram qualquer ajuda. Gostamos porque precisávamos.

Na história da nossa migração em tempos de abundância, exigimos e demos as boas vindas aos imigrantes. Porém, em tempos de aflição e depressão econômica nós os culpamos, perseguimo-los e queremos que sejam deportados.

Individualmente podemos não ser os responsáveis. Individualmente todos os imigrantes deveriam ser os responsáveis. Porém, já que somos uma nação de indivíduos deveríamos considerar o seguinte:

Os Britânicos vieram e mataram o Americano Nativo. Que ignorância e quanta crueldade! Eles fizeram o que eles achavam que estava certo! Eles estavam errados. E custou muito esforço para que houvesse reconciliação e passamos por um longo tempo de restauração. E até hoje não há uma cura total ainda.

Mas os Britânicos também gostaram das meninas Americanas Nativas (das indiazianhas). E entre eles tiveram filhos. Britânicos com Britânicos… Britânicos e os Americanos Nativos... E eles todos vieram… o Holandês, o Sueco e os Italianos e todos os outros... Eles se casaram entre etinias, moças e rapazes… Suas crianças cresceram. Os nascidos aqui e os de fora casaram-se uns com os outros. Eles construíram casas, plantaram a terra... Construiram instituições, igrejas, escolas, universidades, uma enorme civilização…

No início, começou com uma Comunidade que ainda não terminou de crescer e de se misturar até este dia...

E os primeiros migrantes (os Pilgrims) construíram uma nação como se estivessem construindo um Reino, um Reino para Deus abençoar o povo.

Eles desenvolveram a terra inteira. Eles uniram isso com valores, culturas, tradições, riquezas de diferentes origens e tornaram-se e vieram a ser conhecidos como Americanos.

Aqui estamos nós, natos da terra e de outras nações, uma sociedade baseada no ajuntamento de princípios nunca vistos em qualquer outra nação.

Aqui estamos nós, centenas de anos mais tarde, diante de um desafio de proporções enormes tendo que decidir o que faremos com a nossa herança.

Mais de 12 milhões dos chamados ilegais… Eles podem permanecer ilegais ou não… somente até que o Congresso decida agir…

Talvez desta vez faremos tudo direito e promoveremos uma anistia não só para eles, mas para todos nós, uma vez por todas.

sábado, 15 de novembro de 2014

Jesus Cristo não morreu na Cruz para me fazer feliz.

Josimar Salum

Jesus Cristo derramou Seu Sangue para salvar O QUE foi perdido no Jardim.

Na Cruz Jesus reconciliou não somente o homem mas todas as coisas criadas. 

"E que, havendo por Ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo TODAS AS COISAS, TANTO AS QUE ESTÃO NA TERRA, COMO AS QUE ESTÃO NOS CÉUS." (Colossenses 1:20)

A Cruz é muito mais que salvação, redenção, resgate, perdão, libertação, vida eterna.

O propósito eterno de Deus não é simplesmente nossa salvação; mas isto: "os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos." (Romanos 8:29)


segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Que toda ceia dos santos se torne a ceia do Senhor!

Jesus pediu para preparar a páscoa. 

Não se tem certeza se algum cordeiro nesta páscoa foi imolado e assado, porque o Cordeiro Pascal estava presente e vivo. Por certo que sim, pois era a páscoa de Moisés e na páscoa de Moisés tem cordeiro assado.

Por certo serviram  muito vinho, muito pão, ervas amargas e outras iguarias. Era um jantar especial. 

Enquanto comiam e bebiam, ou seja, enquanto desfrutavam da koinonia, daquele comer pão juntos, Jesus tomou do mesmo pão e do mesmo vinho que estavam sendo servidos e deu graças. 

Do cotidiano, da normalidade da vida, destas coisas mais sagradas para o Pai Jesus separou um pedaço de pão e vinho em um copo de barro e deu graças. 

Toda ceia, todo jantar é do Senhor. É o ato de lembrar e anunciar Sua morte, Sua ressurreição e Sua vinda que Jesus espera no dia a dia da existência e não em um culto especial. 

"Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, deu graças, partiu-o e o deu aos seus discípulos, dizendo: “Tomem e comam; isto é o meu corpo”. 

Em seguida tomou o cálice, deu graças e o ofereceu aos discípulos, dizendo: 

“Bebam dele todos vocês. Isto é o meu sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos, para perdão de pecados. 

Eu digo que, de agora em diante, não beberei deste fruto da videira até aquele dia em que beberei o vinho novo com vocês no Reino de meu Pai”. (Mateus 26:26-29 NVI)

Jesus não vai beber conosco do vinho novo senão somente no Reino de Seu Pai.

Mas permanece comendo conosco todos os dias na koinonia dos santos, onde vez em quando também um de nós resolve tomar do mesmo pão e do mesmo vinho, agradecer e lembrar do Evangelho, de Jesus mesmo.

Assim toda ceia, qualquer ceia ou jantar dos santos se torna a ceia e o jantar do Senhor.

Mas eu não estou sozinho...

Eu olhei e encontrei um canto ao lado do oceano. Sentei ali naquelas areias e me vi cercado por águas azuis e pelo azul do céu. Nem ali estive sozinho. 
Josimar Salum - Foto: Jonatas Gouvea


quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Agora haverá uma Reforma Migratória

Josimar Salum

4/11/2014, dia das Eleições “meio-termo” nos Estados Unidos, antes da meia noite, anunciavam as redes de TV: o Senado Federal tornava-se majoritariamente republicano.

Uma grande vitória para todos os habitantes do país e uma derrota dos democratas por conta dos desmandos, autoritarismos e a falta de liderança convincente do Presidente nos mais importantes negócios da Nação.

O que afirmei? 

Primeiro, que não havia razão para desânimo, dúvidas e nem para pessimismo pela vitória dos Republicanos nas Eleições. 

Segundo, apesar de que não devíamos esperar que Republicanos e Democratas viessem fazer uma reforma migratória satisfatória, tenho certeza que AGORA haverá uma Reforma Migratória. 

Enquanto isto um desespero enorme se desenrolava nos arraiais de alguns "liberais brasileiros" devido à vitória massiva dos Republicanos que passarão no próximo ano a controlar o Congresso com maioria nas duas casas legislativas.

Com tendências comuns ao falso jornalismo seja por intenção velada ou por ignorância, mas com certeza por terrorismo ideológico, alguns poucos da mídia começaram a amedrontar a comunidade brasileira dizendo que “não haverá Reforma Migratória por causa da vitória dos republicanos”.

O que me entristece e me deixa estarrecido:

1) Eles sempre sonegam o debate de que os democratas sob a liderança de Presidente Obama tinha a maioria nos dois primeiros anos de seu primeiro mandato e não fez a Reforma que tanto almejamos.

2) Eles ignoram o mérito de que Ordens Presidenciais Executivas por mais bem vindas que sejam para pelo menos dar um alivio ao nosso povo são apenas paliativos.

3) Eles pegam fatos e assuntos desfavoráveis aos democratas e jogam para debaixo de seus tapetes: os sepulcros da liberdade de expressão e da informação jornalística acurada.

4) Suas opiniões pessoais de meias verdades são suas manchetes.

Queremos uma Reforma Migratória ampla, geral e sem restrições.

O que temos constatado? Presidente Obama deportou mais imigrantes durante seus seis anos de mandato, excessivamente mais que todos os presidentes que o precederam.

Em Massachusetts o Governador Deval Patrick nunca exerceu uma liderança concreta pró-imigrante nem apresentou nenhum projeto de lei em favor dos imigrantes ao Legislativo Estadual de maioria democrata durante seus dois mandatos.

Enquanto isto nos últimos oito anos a Policia Estadual prendia nossos conterrâneos e os entregava para a "imigração" para deportação sumária.  Governador Patrick é o responsável direto e exclusivo por isto.

É fato, Patrick é bom de discurso. Sou testemunha ocular de sua promessa oito anos atrás de conceder a Carteira de Motorista. Só discurso e promessa como é o caso do Presidente até aqui.

Faria o Governador alguma coisa agora no apagar das luzes de seu mandato? Duvido. Entretanto qualquer medida será muito festejada por todos nós.

No nível federal, a história atesta que a mais ampla e mais vigorosa Reforma Migratória da história dos Estados Unidos foi realizada pelos Republicanos, liderada pelo Presidente Ronald Reagan (1986), seguida depois pela Reforma Migratória (1996) liderada pelo Presidente Democrata Bill Clinton quando o republicano radical Neil Gingrich era líder da Câmara dos Deputados.

Penso ser de suma importância e grande utilidade que Brasileiros apoiem diversos candidatos dos dois mais importantes partidos, porque nossas comunidades imigrantes especialmente precisam de interlocutores nos dois arraiais. 

Repugno, porém as atitudes desonestas dos que fizeram campanha a favor de seu candidato inventando estórias do oponente, criando argumentos com fatos fora de contexto com o intuito de enganar o eleitor e até fabricando comissões “anti-imigrantes" que nunca existiram para amedrontar o eleitor contando que nosso povo ainda acredita nestas bravatas sem investigar e pesquisar.

A maior bravata direta que ainda tenho ouvido é de que a “Lieutenant Governor” eleita nossa amiga Karyn Polito “criou uma comissão anti-imigrante quando foi deputada estadual”. Acusa-la de anti-imigrante é o mesmo que acusa-la de racista ao que cabe processo por calúnia e difamação. É muita inconsequência!

Vamos recomeçar numa nova estrada, partir para uma nova estratégia, senão pelos Brasileiros que continuam ainda vivendo nas sombras de uma árvore tão frutífera cujos frutos ainda lhe são racionados.

Não tenho nenhum problema de admitir erros, "flip flop", especialmente quando posso aprimorar e servir melhor meu semelhante. Espero que façamos um balanço de nossas ações e corrijamos rotas se preciso.

Nunca ignorei que há um radicalismo idiota e insano nas fileiras republicanas de alguns que não tem a mínima ideia que estes grandes Estados Unidos tem sangue de grandeza em suas veias em grande parte de imigrantes de todos os cantos do planeta.

São imigrantes os que tem construído esta nação como farol de Liberdade e território das oportunidades que muitos de nós nunca usufruímos em nossos países de origem.

Se unirmos sem falsos discursos, deixando de lado este partidarismo fanático e tendencioso, de muitos seguimentos da comunidade brasileira, nós escolheremos um caminho mais nobre para exercermos nossa influência POR UMA REFORMA MIGRATÓRIA COMPLETA. JÁ.

Sim, pelos Brasileiros, sempre, nossa Causa maior!

Carta Aberta aos Brasileiros de Massachusetts e dos Estados Unidos


Prezado (a):

Não há razão para desânimo nem para dúvidas e pessimismo sobre a vitória dos Republicanos nas Eleições de 2014.

A história atesta que a mais ampla e mais vigorosa Reforma Migratória da história dos Estados Unidos foi realizada pelos Republicanos liderada pelo Presidente Ronald Reagan (1986) seguida depois pela Reforma Migratória (1996) liderada pelo Presidente Democrata Bill Clinton quando o republicano radical Neil Gingrich era líder da Câmara dos Deputados.

Há um desespero enorme nos arraiais de alguns "liberais brasileiros" devido a vitória massiva dos Republicanos nos Estados Unidos que passam a controlar o Congresso com maioria nas duas casas legislativas no próximo ano.

Com tendências que são comuns de alguns poucos ao falso jornalismo e ao terrorismo ideológico começam a amedrontar a comunidade brasileira dizendo que não haverá Reforma Migratória por conta do radicalismo de alguns republicanos.

Entretanto, sempre sonegam as informações de que os democratas sob a liderança de um Presidente fraco tinha a maioria nos dois primeiros anos de seu mandato e não fez a Reforma que tanto almejamos. 

E há outros fatos e assuntos desfavoráveis que jogam para debaixo de seus tapetes, sepulcros da liberdade de expressão e da informação jornalistica acurada. Suas manchetes são suas opiniões pessoais.

Como dizemos em inglês: "This is all non-sense."

Mas vamos apresentar os fatos como são. Pelo contrário, foi o Presidente Obama quem mais deportou imigrantes durante seus seis anos de mandato, excessivamente mais que todos os presidentes que o precederam. 

Em Massachusetts também alguns destes radicais mascaram os fatos de que o Governador Deval Patrick nunca exerceu uma liderança nem apresentou nenhum projeto de lei para conceder a Carteira de Motorista e oferecem a desculpa de que quem vota sobre estes assuntos e aprova são as Casas Legislativas do Estado. 

Enquanto isto nos últimos oito anos a Policia Estadual prendia nossos conterrâneos e os entregava para a "imigração" para deportação sumária. 

Acusam Mitt Romney (cujo mandato de Governador terminou a oito anos atrás) de ser o responsável exclusivo por isto, quando na verdade o discurso de promessas do Governador Patrick - eu sou testemunha ocular de sua promessa a oito anos atrás de conceder a Carteira de Motorista, poderia se tornar prática e ação, bastaria apenas a sua liderança para encaminhar nosso anseio.

Certo é que a maioria democrata reinou em seus oito anos de mandato soberana e impediu qualquer aprovação de qualquer benesse para os imigrantes. 

Não responsabilize exclusivamente os republicanos, porque a última tentativa de iniciativa bipartidária para aprovação da Carteira de Motorista não contemplou o apoio aberto do Governador Patrick e tinha a oposição clara da candidata a Governador Martha Coakley, atual Procuradora do Estado.

Vamos recomeçar uma nova caminhada, partir para uma nova estratégia, senão pelos Brasileiros que continuam ainda vivendo nas sombras de um árvore tão frutuosa cujos frutos ainda lhe são racionados. 

Não tenho nenhum problema de admitir erros, " to flip flop", especialmente quando posso aprimorar e servir melhor meu semelhante. Espero que façamos um balanço de nossas ações e corrijamos rotas se preciso.

Não espero que os Republicanos façam uma reforma migratória a nivel federal que nos satisfaça plenamente. Mas tenho certeza que AGORA haverá uma Reforma Migratória. 

Sei que há um radicalismo idiota e insano nas fileiras republicanas compartilhado por alguns que não tem a mínina ideia que estes grandes Estados Unidos tem sangue de grandeza em suas veias e em grande parte de imigrantes de todos os cantos do planeta que tem construido esta nação como farol de Liberdade e território das oportunidades que muitos de nós nunca usufruimos em nossos países de origem.

Se unirmos sem falsos discursos deixando de lado este partidarismo fanático e tendencioso de muitos seguimentos da comunidade brasileira iremos exercer nossa influência POR UMA REFORMA MIGRATÓRIA COMPLETA como um bloco único daqueles que deixam suas posições pessoais pela grande causa que é de cada um: os imigrantes e em especial os imigrantes brasileiros.

Eu me humilho em dizer que durante quase 20 anos pude construir através de diálogo um acesso aos mais diferentes e antagônicos setores da política americana e tenho podido dialogar, negociar, participar e engajar em favor dos que clamam por Justiça Social.

Sim, pelos Brasileiros, sempre, nossa Causa maior!


Rev. Josimar Salum


CLIQUE AQUI para ler a proposta que apresentamos pessoalmente durante a campanha em Massachusetts a Martha Coakley e a Karyn Polito, parceira de chapa de Charlie Baker, o próximo Governador de Massachusetts.

CLIQUE AQUI para ler sobre Projeto de Lei de Reforma Migratória aprovada no Senado em 2013